Polícia Federal procura armas de fazendeiros no Pontal

As polícias federal, militar e civil da região de Presidente Prudente, no interior paulista, receberam ordens hoje para tentar identificar e prender os integrantes da milícia de um fazendeiro do Pontal do Paranapanema, mostrada pelo Estado portando armas de uso civil proibido.O comando da PM está realizando blitze nas rodovias para tentar interceptar o transporte de armas. O delegado da Polícia Civil de Presidente Wenceslau, Dirceu Jesus Urdiales, disse que o caso é pontual e não significa que o Pontal é uma "faixa de Gaza", numa referência ao conflito no Oriente Médio. Segundo ele, os pistoleiros são provavelmente do Mato Grosso. "Quando o clima fica tenso, eles são trazidos por alguns fazendeiros, mas em seguida vão embora." Segundo ele, alguns proprietários de fazenda estão sendo investigados.Sem-terra assustadosOs líderes dos sem-terra mostraram-se assustados com o poderio das armas da milícia. José Rainha disse que essa atitude é intimidadora e desnecessária, pois só acirra os ânimos. "Não é isso que vai deter os sem-terra."Ele, que no ano passado foi preso portando uma escopeta calibre 12, defendeu "o mesmo tratamento" para o fazendeiro e seus seguranças. Segundo Rainha, os latifundiários sempre estiveram armados e as últimas ocupações ocorridas no Pontal foram reprimidas com violência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.