Polícia Federal ouvirá deputada que guardou dinheiro na bolsa

Também deverá depor o ex-chefe de gabinete da governadoria Fábio Simão, acusado de ser o responsável pela arrecadação de propina

Agência Brasil

06 de abril de 2010 | 12h22

A Polícia Federal toma na tarde desta terça-feira, 6, o depoimento de mais três pessoas envolvidas no esquema de corrupção descoberto pela Operação Caixa de Pandora. Entre elas está a deputada distrital Eurides Brito (PMDB), acusada de receber R$ 30 mil mensais em troca de apoio político-partidário ao governo de José Roberto Arruda, preso na PF.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif CGU encontra indícios de desvio de mais de R$ 100 mi

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Hidrelétrica liga Roriz a esquema do DF

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/blog_azul.gif Blog do Bosco: Fora da Câmara, ninguém quer governo de Brasília

 

Também deverá depor na Polícia Federal o ex-chefe de gabinete da governadoria Fábio Simão, acusado de ser o responsável pela arrecadação de propina em empresas que prestavam serviço ao governo do Distrito Federal (GDF).

 

Ainda está marcado o depoimento de Severo de Araújo Dias, acusado de ser laranja de Arruda na compra de um haras.

 

Na última segunda-feira, 5, a PF ouviu no fim da dia o depoimento da ex-mulher de Arruda, Mariane Vicentine, e do ex-deputado Pedro Passos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.