Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Polícia Federal investigará agressão a sindicalistas na BA

Quatro diretores da Associação dos Servidores de Transporte e Trânsito de Salvador foram brutalmente espancados por desconhecidos quando se dirigiam ontem para a sede do Sindicato dos Metalúrgicos para participar de assembléia da categoria, em greve desde o inicio do mês. A pedido do líder do PT na Câmara, deputado Nélson Pellegrino, o Ministério da Justiça determinou que a Polícia Federal apure o caso. Um dos agredidos Evandro Velame foi internado no Hospital Jorge Valente com vários hematomas, suspeita de fraturas no maxilar e costelas. O presidente da associação, Jaraguá Costa ficou com vários hematomas na testa e nas faces. Elivaldo Alcântara e Evandro Brando também foram espancados com soqueiras. Todos já haviam recebido alta na manhã de hoje. O incidente ocorreu na Rua do Limoeira, Bairro de Nazaré e foi testemunhado pelo corregedor da Polícia Civil, delegado Edgar Medrado que mora no local e viu três homens, dois deles usando máscaras, interceptar o carro dos sindicalistas e agredi-los. Seriam membros da chamada "P2", segundo os sindicalistas, um suposto grupo paramilitar mantido pelas autoridades baianas para agredir grevistas e sabotar os movimentos reivindicatórios dos funcionários públicos. O sindicalista Velame acusou diretamente a Prefeitura de Salvador de ter pedido "emprestado" ao governo estadual uma "equipe" da P2 para agredi-los. A prefeitura nega qualquer envolvimento no caso. O diretor de imprensa da associação Jean Cláudio da Silva disse que a agressão ocorreu depois que uma comissão de grevistas denunciou na prefeitura um esquema de propina na Gerência de Trânsito do Município. Segundo a denúncia, funcionários graduados receberiam suborno para perdoar multas. As investigações da PF serão iniciadas amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.