Polícia Federal apreende documentos de obras

Agentes recolheram papéis, arquivos e CDs sobre projetos de empreiteira em sete Estados

Marcelo Godoy e Roberto Almeida, O Estadao de S.Paulo

07 de abril de 2009 | 00h00

A Polícia Federal recolheu na sede da empreiteira Camargo Corrêa documentos sobre obras públicas em pelo menos sete Estados. Os agentes apreenderam pastas, planilhas, tabelas, cópias de e-mails, CDs, contratos e relatórios sobre projetos da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), da Prefeitura de Salvador e da Petrobrás.Equipes da Castelo de Areia, como a SP09, chefiada pela delegada Luciana Matutino, apreenderam material quase que exclusivamente relacionado às obras da Camargo Corrêa. A delegada relatou ter encontrado projetos do metrô de Salvador e apreendeu envelope com a inscrição "obra BR-101-PE ", sobre a conservação da rodovia em Pernambuco, feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do Ministério dos Transportes. A delegada também levou à PF material referente a duas obras da Petrobrás: o gasoduto Urucu-Manaus e a Refinaria Abreu e Lima. Agentes recolheram ainda documentos sobre "Ponte Estaiadas/ Rio Negro", além de duas pastas com referências ao Rodoanel. A razão do interesse nas obras não foi divulgada pela PF. Quando agentes cumprem mandados de busca e apreensão, são orientados sobre o que devem procurar e apreender. No caso da Camargo Corrêa, o auto de apreensão demonstra que estavam atrás de documentos sobre doações de campanha, supostos crimes financeiros e obras públicas da construtora.A equipe SP05, do delegado Cícero Strano Moraes, recolheu arquivos sobre o metrô de Salvador, além de pastas sobre a transposição do Rio São Francisco, documentos do governo do Ceará sobre o metrô de Fortaleza e relatório sobre "Fase 2, Aeroporto de Guarulhos-SP". Essa não foi a única obra em aeroporto analisada pelos federais. A equipe SP08, chefiada pelo delegado Osvaldo Scalezi Jr, ainda encontrou planilhas sobre o Aeroporto de Vitória (ES) no bloco 8 da empreiteira. Consultados pelo Estado, os responsáveis pelas obras na administração pública negaram irregularidades e dizem estar abertos a investigações.É o caso do governo do Amazonas (ponte sobre o Rio Negro), da Prefeitura de Salvador (metrô de Salvador) e do DNIT (BR-101). O governo do Ceará preferiu não se manifestar "enquanto não houver um parecer" sobre o metrô de Fortaleza. A Secretaria de Transportes de São Paulo informou que "desconhece" os documentos apreendidos sobre o Rodoanel. A Infraero negou que a Camargo Corrêa realize obras em Guarulhos, mas está tomando "medidas cabíveis" sobre o Aeroporto de Vitória. Suas obras foram paralisadas pelo Tribunal de Contas da União. A Petrobrás não quis comentar as apreensões, mas disse estar à disposição da PF. A Camargo Corrêa informou que as obras citadas são "naturalmente fiscalizadas pelos tribunais de contas".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.