Polícia do RJ fará ato de apoio a Benedita

Depois de uma semana de crise por causa da polêmica proposta federal para criar uma força-tarefa contra a violência no Rio, o governo Benedita da Silva (PT) receberá o apoio dos policiais civis. Na próxima sexta-feira, eles realizam uma manifestação em favor governadora, para exigir publicamente que a ação conjunta para combater a criminalidade seja liderada pelo governo estadual. "A força-tarefa deveria existir normalmente. Mas, se a Polícia Federal e as Forças Armadas querem reforçar o combate ao crime no Rio, então essa ação tem que ser liderada por quem conhece o Estado, que é o nosso governo Benedita", afirmou Cláudio Cruz, diretor do Sindicato dos Policiais Civis.A criação de uma força-tarefa contra a violência do Rio foi proposta na semana passada pelo ministro da Justiça, Miguel Reale Júnior, depois que criminosos jogaram uma granada na sede da Secretaria de Direitos Humanos do Estado. O ministro sugeriu que a Polícia Federal e as Forças Armadas montassem, junto com as polícias civil e militar do Rio, uma operação contra o crime. A declaração do ministro causou mal-estar porque sugeria intervenção. Benedita aceitou a ajuda, mas rejeitou a liderança federal.Na sexta-feira, os policiais pretendem fazer um ato na porta do Palácio Guanabara e levar flores para a governadora. "Sabemos em que condições o atual governo herdou o Rio, e não podemos esquecer a forma discriminatória que fomos tratados pelo antigo governo", afirma a nota do sindicato distribuída à imprensa. "A hora é de dizer sim ao governo, que promete restabelecer o nível superior para o ingresso na polícia e tem dado um tratamento imparcial à área de segurança. Pela primeira vez, a Polícia Civil vai ao Palácio Guanabara não para cobrar do governo, mas para entregar flores à governadora", acrescenta a nota.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.