Polícia do Acre inicia nova greve

A Polícia Civil do Acre entra hoje em greve, pela segunda vez em sete dias, exigindo melhoria salarial. "Ficou acertado que até o dia primeiro tudo seria resolvido. Já estamos na segunda quinzena e nada até agora", disse o perito criminal Francisco Feitosa, sindicalista e membro da comissão que negocia com o governo a implantação do plano de cargos, carreiras e salário (PCCS). A categoria não aceita os pisos salariais até agora apresentados, e quer mudança na forma de pagamento de benefícios trabalhistas.Na quarta-feira passada, policiais e servidores de apoio deixaram de trabalhar por 24 horas em protesto contra a demora na implantação do PCCS e da lei orgânica da categoria. Eles cercaram o prédio da Secretaria de Segurança com faixas e cartazes pedindo a demissão da secretária Salete Maia.O governador Jorge Viana (PT) criticou o movimento e falou sobre uma série de melhorias na área de segurança pública nos dois últimos anos. No dia seguinte ao protesto, Viana promoveu mudanças em várias secretarias mas manteve Salete Maia no cargo. "Antes, aqui no Acre se fazia greve para marcar audiência com o governador, mas hoje mantemos diálogo aberto com os servidores e sindicatos", disse Viana.O Estado tem cerca de dois mil servidores na área de segurança. Há policiais que, mesmo com mais de 25 anos de carreira, ganham R$ 300 de salário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.