Polícia de Campinas trabalha com hipótese de latrocínio

A Polícia Militar de Campinas trabalha primeiramente com a hipótese de que o prefeito Antonio da Costa Santos, o Toninho do PT, tenha sido vítima de um latrocínio.Segundo o tenente-coronel da PM Sabbatini, o mais provável é que o prefeito tenha sido abordado por assaltantes na Avenida Projetada, local onde ocorreu o crime. De acordo com o tenente-coronel, o prefeito pode ter tentado fugir dos assaltantes e por isso teria sido baleado.Entretanto, o deputado estadual Petterson Prado (PDT) levantou a hipótese de que o crime tenha motivação política. Segundo ele, o prefeito estaria contrariando interesses poderosos ao rever contratos com empresas que prestam serviços à Prefeitura de Campinas. Segundo Sabbatini, o carro em que o prefeito estava tinha pelo menos duas marcas de tiros, um no vidro traseiro e outro na coluna. O policial disse que o carro foi encontrado fora da pista, ao lado de um terreno vazio, e com alguns pequenos amassados na frente.Sabbatini não quis levantar outras hipóteses a respeito do crime. Ele espera que testemunhas do ocorrido apareçam para elucidar o homicídio. A perícia será feita pela polícia civil para verificar as reais condições do crime.O tenente-coronel não soube avaliar com precisão se outra pessoa estaria no carro, mas ele acha pouco provável. O corpo do prefeito está neste momento no IML de Campinas. Com a morte do prefeito, o cargo deve ser ocupado pela vice-prefeita, Izalene Tiene (PT).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.