Polícia Civil inicia greve no Ceará na quinta-feira

Os policiais civis do Ceará vão entrar em greve a partir da próxima quinta-feira. A decisão foi tomada por unanimidade em assembléia realizada na sexta-feira. O expediente será suspenso, na quinta, a partir das 15 horas. Os policiais reivindicam melhores condições de trabalho e reajuste salarial de 39%. Como o serviço de Segurança Pública é essencial, 30% dos policiais continuarão trabalhando. O presidente do Sindicato dos Policiais Civis no Estado do Ceará (Sinpoci), Weldo Jorge Queiroz, reclama dos baixos salários - hoje um inspetor recebe R$ 830 - e diz que a categoria busca melhores condições de trabalho. "Precisamos de salários dignos e das promoções previstas em lei, atualmente em atraso", reivindica o sindicalista. Uma outra categoria já em greve, no Ceará, é a dos professores da rede pública estadual. Hoje (21), a paralisação completa cinco dias. Eles pedem reajuste de 33,29%% e o governador Lúcio Alcântara (PSDB) deu apenas 6%. A conclusão do primeiro semestre letivo está ameaçada. Também insatisfeitos, os defensores públicos não descartaram a realização de uma greve no segundo semestre. Eles pretendem entrar na Justiça, através de Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), para que o Estado realize concurso público e equipare o teto salarial deles ao de juízes, promotores e procuradores, como foi feito na Reforma da Previdência. Os defensores optaram por este recurso por não conseguirem um reajuste salarial diferenciado do Estado. Eles receberam o mesmo que o restante do funcionalismo público: 6%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.