Polícia Civil e governo de PE negociam

O Governo do Estado e policiais civis em greve ainda negociavam, até o início da noite desta quinta-feira, uma saída para encerrar a paralisação iniciada há 25 dias.Nos últimos dois dias a categoria adotou uma forma de "greve reduzida", com ampliação dos serviços essenciais prestados à população, prometendo retomar nesta sexta uma greve radicalizada, caso não haja acordo.O governo contava com a possibilidade de conseguir dilatar o prazo da trégua enquanto não terminam as negociações.Os policiais querem aumento salarial de 28% (igual ao concedido neste ano a bombeiros e policiais militares) e reajuste do salário-base para R$ 180,00, o que elevaria o atual salário inicial, de R$ 529,00 para R$ 700,00.A greve foi considerada ilegal pela Câmara de Férias do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), que também negou liminares de mandados de segurança impetrados pelo sindicato da categoria (Sinpol) visando conseguir judicialmente as reivindicações salariais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.