Polícia caça ex-sócio de Jader

A Polícia Federal está mobilizada para prender o empresário José Osmar Borges, ex-sócio do presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), e acusado de corrupção no caso Sudam. Segundo informações da PF, todos os aeroportos e fronteiras do País estão sendo vigiados. O empresário teve sua prisão preventiva decretada ontem pelo juiz da 2ª Vara da Justiça Federal em Mato Grosso, Jeferson Schneider, a pedido de prisão do procurador da República, Pedro Taques.O empresário é acusado de desviar em torno de R$ 70 milhões da Sudam, segundo dois inquéritos que ainda não foram concluídos. Borges mantém em Mato Grosso seis projetos com incentivos da autarquia. Segundo fontes da PF, o empresário estava ontem em Brasília tentando, através de habeas-corpus, revogar a prisão.Borges está sendo investigado desde que o Tribunal de Contas da União descobriu que a Agropecuária Santa Júlia, localizada em Água Boa, distante 700 quilômetros de Cuiabá, não havia cabeça de gado. No projeto, ele havia declarado que investiu R$ 2,8 milhões para adquirir um rebanho de 7.878 matrizes e 240 touros. Além do empresário, a Polícia Federal procura o seu contador, Florivaldo Fúrio que teve também a prisão decretada.Ontem, a Polícia Federal prendeu o sócio de José Osmar, o empresário e ex-delegado da Polícia Federal, Alberto Coury Júnior, em Brasília, além da secretária Ilma Martins Gustinelli e da ex-contadora Cirlene Ferreira Muniz que foram presas em Cuiabá. As duas são consideradas "laranjas". Também foi preso o empresário Jorge Jerônimo Gonso, proprietário da Prestimus Assessoria, responsável pela elaborações dos projetos aprovados pela Sudam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.