Polícia busca PM acusado de roubo de armas

Policiais do Setor de Investigações Gerais (SIG) da 2.ª e da 7.ª seccionais ainda não sabem o paradeiro do soldado Ivan Ribeiro da Silva, desaparecido desde quinta-feira. Oitenta homens da Corregedoria da PM também participam das buscas. O trabalho será reiniciado amanhã, com a retomada do expediente nas seccionais. O militar trabalhava como armeiro da 3.ª Companhia do 22.º Batalhão e é um dos envolvidos no roubo de armas do 2.º Comando de Policiamento de Área Metropolitano (CPAM-2), no dia 6. Outro PM está preso na corregedoria. A polícia procura ainda por Ericson Luis Carlote, o Mofão."Esperamos encontrá-los nos próximos dias", disse o tenente-coronel Renato Perrenoud, da Comunicação Social da PM. Silva tem de se apresentar até quinta-feira, quando completará oito dias que está foragido. Caso isso não ocorra, a corregedoria vai processá-lo por deserção. "Silva será julgado pela Justiça Militar. Daí, sim, ele será expulso."O crime começou a ser desvendado após a prisão de Tércio Renê Alves Gomes, que tentava vender as armas. Na ocasião, Jefrey Santos Muricy também foi detido, mas acabou liberado e incluído como testemunha. Dezesseis policiais foram presos administrativamente. O coronel-chefe da corregedoria, João Rogério Felizardo, acredita esclarecer o crime até amanhã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.