André Dusek/AE
André Dusek/AE

Polêmicas de Joaquim Barbosa

Em 11 anos no Supremo e menos de um ano depois de anunciar sua aposentadoria, ex-ministro da Corte coleciona embates e polêmicas

O Estado de S. Paulo

18 Fevereiro 2015 | 12h34

Aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente da Corte Joaquim Barbosa voltou a ser destaque no carnaval em razão de declarações críticas aos encontros de advogados de investigados na Operação Lava Jato com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. 

Em seu perfil no Twitter, ele pediu a demissão de Cardozo. Dois dias depois, também em posts publicados na internet, ele afirmou que advogados que recorrerem à política tentam "corromper" a Justiça. As declarações, aumentam o histórico de polêmicas em que o magistrado já se envolveu. Relembre algumas delas: 

1.

Discussões na Corte

Durante o julgamento do mensalão, Barbosa protagoniza bate-boca com colegas, principalmente com Ricardo Lewandowski, a quem acusa de fazer "chicana" - termo que, no meio jurídico, significa manobra para atrasar o processo em favor de alguma das partes. Ao ministro Luís Roberto Barroso, disse que o colega dava um "voto político". Em discussão com Gilmar Mendes chegou a dizer ao colega que ele "não estava falando com seus capangas do Mato Grosso".

 

2.

Recado a juízes e advogados

Em 2013, Barbosa se envolve em ao menos três polêmicas com entidades representativas de juízes e advogados. Tribunais em resorts: Sobre criação de tribunais regionais federais, ele diz que vão ser criados em ‘resorts’ para ‘dar emprego a advogados’. Em março de 2013, durante sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Barbosa afirma haver ‘conluio’ entre juízes e advogados.

 

3.

Embates com a imprensa

Em 2013, Barbosa se irritou ao ser abordado por um repórter do Estado e o mandou "chafurdar no lixo". Em outra ocasião, criticou a falta de "pluralismo" da imprensa brasileira, que, segundo ele, é dominada por três jornais, "todos inclinados mais ou menos para a direita".

 

4.

Racismo no Itamaraty

Em entrevistas concedidas em julho de 2013, o então presidente do STF acusa o Itamaraty de ser "uma das instituições mais discriminatórias do Brasil" e diz ter sido vítima de preconceito ao ser reprovado no concurso para diplomata. O órgão não comentou as declarações.

 

5.

Defesa expulsa do Supremo

Então presidente do STF, em julho de 2014, Barbosa expulsa do plenário o advogado Luiz Fernando Pacheco, que defendeu o ex-deputado José Genoino.

 

6.

Barbosa no centro das atenções

O ministro também já foi o centro de polêmicas. Em 2010, quando estava de licença médica da Corte por causa de problemas de coluna, é flagrado em um bar em Brasília. Em 2013, foi revelado que o magistrado comprou imóvel em Miami (EUA) usando uma empresa para obter benefícios fiscais. "Não tenho contas a prestar a politiqueiros", diz na ocasião. Em junho de 2014, o Supremo paga 11 diárias durante as férias de Barbosa na Europa. Ele devolve parte do dinheiro dias depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.