André Dusek/AE
André Dusek/AE

Polêmicas de Joaquim Barbosa

Em 11 anos no Supremo e menos de um ano depois de anunciar sua aposentadoria, ex-ministro da Corte coleciona embates e polêmicas

O Estado de S. Paulo

18 de fevereiro de 2015 | 12h34

Aposentado do Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-presidente da Corte Joaquim Barbosa voltou a ser destaque no carnaval em razão de declarações críticas aos encontros de advogados de investigados na Operação Lava Jato com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. 

Em seu perfil no Twitter, ele pediu a demissão de Cardozo. Dois dias depois, também em posts publicados na internet, ele afirmou que advogados que recorrerem à política tentam "corromper" a Justiça. As declarações, aumentam o histórico de polêmicas em que o magistrado já se envolveu. Relembre algumas delas: 

1.

Discussões na Corte

Durante o julgamento do mensalão, Barbosa protagoniza bate-boca com colegas, principalmente com Ricardo Lewandowski, a quem acusa de fazer "chicana" - termo que, no meio jurídico, significa manobra para atrasar o processo em favor de alguma das partes. Ao ministro Luís Roberto Barroso, disse que o colega dava um "voto político". Em discussão com Gilmar Mendes chegou a dizer ao colega que ele "não estava falando com seus capangas do Mato Grosso".

 

2.

Recado a juízes e advogados

Em 2013, Barbosa se envolve em ao menos três polêmicas com entidades representativas de juízes e advogados. Tribunais em resorts: Sobre criação de tribunais regionais federais, ele diz que vão ser criados em ‘resorts’ para ‘dar emprego a advogados’. Em março de 2013, durante sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Barbosa afirma haver ‘conluio’ entre juízes e advogados.

 

3.

Embates com a imprensa

Em 2013, Barbosa se irritou ao ser abordado por um repórter do Estado e o mandou "chafurdar no lixo". Em outra ocasião, criticou a falta de "pluralismo" da imprensa brasileira, que, segundo ele, é dominada por três jornais, "todos inclinados mais ou menos para a direita".

 

4.

Racismo no Itamaraty

Em entrevistas concedidas em julho de 2013, o então presidente do STF acusa o Itamaraty de ser "uma das instituições mais discriminatórias do Brasil" e diz ter sido vítima de preconceito ao ser reprovado no concurso para diplomata. O órgão não comentou as declarações.

 

5.

Defesa expulsa do Supremo

Então presidente do STF, em julho de 2014, Barbosa expulsa do plenário o advogado Luiz Fernando Pacheco, que defendeu o ex-deputado José Genoino.

 

6.

Barbosa no centro das atenções

O ministro também já foi o centro de polêmicas. Em 2010, quando estava de licença médica da Corte por causa de problemas de coluna, é flagrado em um bar em Brasília. Em 2013, foi revelado que o magistrado comprou imóvel em Miami (EUA) usando uma empresa para obter benefícios fiscais. "Não tenho contas a prestar a politiqueiros", diz na ocasião. Em junho de 2014, o Supremo paga 11 diárias durante as férias de Barbosa na Europa. Ele devolve parte do dinheiro dias depois.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.