Polêmica dos currículos continua e Serra diz desconhecer erro

Governador de SP afirma que é de conhecimento público que não concluiu a faculdade de Engenharia

Carolina Freitas, AE

19 de agosto de 2009 | 16h22

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse nesta quarta-feira desconhecer erros em seu currículo, publicados em dois livros de dados biográficos do Senado Federal. Os equívocos foram apontados terça-feira, 18, pelo líder da bancada petista na Casa, senador Aloizio Mercadante (SP). Currículos publicados em livros das legislaturas de 1995 e 1999, quando Serra era senador, informam que o tucano era formado em Engenharia Civil pela Universidade de São Paulo (USP).

 

Serra disse ser de "conhecimento público, amplo, geral e irrestrito" que ele não concluiu a faculdade de Engenharia, pois foi exilado durante o Regime Militar (1964-1985). Questionado sobre se sabia que seu currículo fora publicado com erros, respondeu: "Claro que não." O governador também negou que tenha passado as informações equivocadas para a publicação.

 

Respondendo a Mercadante, Serra disse que o senador petista é um "conhecido mitômano (mentiroso compulsivo), especialista em dossiê de aloprados e falsificou o currículo dele na campanha de 2006, quando afirmou que era doutor pela Unicamp num debate na TV Gazeta", disse. O governador também lembrou que foi professor de Mercadante na Universidade de Campinas

 

Polêmica dos diplomas

 

A análise e contestação de currículos teve início depois que reportagem da revista piauí apontou informações erradas que o site da Casa Civil divulgava sobre a formação acadêmica da ministra Dilma Rousseff.

 

O endereço eletrônico do ministério dizia que Dilma é "mestre em teoria econômica pela Universidade de Campinas (Unicamp) e doutoranda em economia monetária e financeira pela mesma universidade. Já a Plataforma Lattes, programa online que arquiva currículos, registrava que a ministra da Casa Civil fez mestrado na Unicamp em 1978-1979 e iniciou um doutorado em Ciências Sociais em 1997, também na Universidade de Campinas.

 

Em entrevista à piauí, Antônio Faggiani, diretor de registro acadêmico da Unicamp, garantiu que Dilma nunca se matriculou em nenhum curso de mestrado na universidade. Faggiani informou ainda que o único registro que existia era uma matrícula, em 1998, em um curso de doutorado, do qual Dilma foi jubilada em 2004 por terminar o prazo para conclusão dos créditos.

 

Dilma contesta a versão do diretor da Unicamp. A ministra disse que concluiu os créditos tanto do doutorado, como do mestrado. Afirma que só não concluiu os cursos pois não teve tempo de defender as teses. Sobre o fato da Plataforma Lattes informar um doutorado em Ciências Sociais, Dilma diz que o programa mostra um dado errado, pois a área era ciências econômicas.

 

Candidatura de Marina

 

Serra foi reticente ao comentar a saída da senadora Marina Silva do PT e sua eventual candidatura à Presidência da República pelo PV. "Marina é uma pessoa com quem tenho relações cordiais, mas esse é um assunto de outro partido. Eu não vou comentar", limitou-se a comentar.

 

O governador entregou hoje equipamentos de ressonância magnética e tomografia do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas e no Instituto do Coração (InCor). O custo dos equipamentos é de R$ 9,2 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.