Pnuma lamenta assassinato de Sir Peter Blake

O diretor executivo do Programa das Nações Unidas sobre Meio Ambiente (Pnuma), Klaus Toepfer, enviou nota à imprensa, chocado com o assassinato do navegador neozelandês Sir Peter Blake, por ladrões, em Macapá, no Amapá, na noite da última quarta-feira. Em julho deste ano, Toepfer havia nomeado Blake como um dos três embaixadores especiais do Pnuma, apoiando suas iniciativas para aumentar a conscientização sobre a necessidade de proteger áreas críticas."Era um esportista, um ambientalista e uma pessoa notável", enfatizou Toepfer. "Com uma carreira lotada de sucessos como navegador, Sir Peter Blake trouxe a mesma determinação, liderança, criatividade e cuidado para suas atividades relativas ao meio ambiente e todos estamos diminuídos com sua perda". "Estamos tristes e chocados pela forma como se tirou a vida de uma pessoa com tanta habilidade, generosidade e influência. Eu espero, sinceramente, que seus colegas e amigos consigam levar adiante seu grande trabalho", acrescentou o diretor do Pnuma. "Uma das aptidões especiais de Sir Peter Blake era tornar a beleza deste planeta e as ameaças ambientais acessíveis aos cientistas, políticos, empresários, e homens e mulheres das ruas. Este é um talento raro, admirado por mim e pelos membros do Pnuma, que o conheceram pessoalmente ou através de seu trabalho. Eu espero que sua mensagem sobre a necessidade de proteger os oceanos e áreas selvagens do mundo se transforme num legado duradouro deste homem estraordinário".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.