PMs estimam 790 mil nas ruas do País

Número foi superior à contagem oficial de abril, quando foram contabilizadas 660 mil pessoas

O Estado de S. Paulo

16 de agosto de 2015 | 21h35

Atualizado às 23h35

São Paulo - Os protestos deste domingo, 16, mobilizaram cerca de 790 mil pessoas, segundo estimativas feitas pela Polícia Militar em 168 cidades de todos os Estados do País. Nas manifestações de abril, a contagem oficial das PMs foi de 660 mil presentes.

Quase 45% dos manifestantes, porém, se concentraram na cidade de São Paulo, onde a PM estimou público de 350 mil pessoas às 16 horas. Trata-se de um número 160% superior ao divulgado pelo instituto Datafolha, de 135 mil participantes.

Não é a primeira vez que PM e Datafolha divulgam dados divergentes. No protesto de março, o instituto contabilizou 210 mil presentes, e a polícia, 1 milhão (376% a mais). Em abril, foram 100 mil e 275 mil, respectivamente – o dado da PM foi 175% maior que o do instituto.

Para calcular os presentes, o Datafolha mede o número de participantes por metro quadrado em determinados trechos da Paulista e multiplica a média resultante pela área total ocupada na avenida. Além disso, pesquisadores entrevistam manifestantes para estimar a taxa de renovação – ou seja, quantas pessoas chegam e vão embora no decorrer do protesto. A PM de São Paulo não divulga detalhes de sua metodologia.

Em março, nota da PM informou que foi contado 1 milhão de pessoas na Paulista e arredores com densidade média de 5 pessoas por metro quadrado – ou seja, a área ocupada pelo protesto deveria ter chegado a 200 mil metros quadrados. Mas a área da Paulista de ponta a ponta, incluindo as calçadas, não chega a 120 mil metros quadrados.

Houve contagem de público pela PM em 94 cidades. As maiores localidades onde a PM não divulgou sua contagem foram Rio de Janeiro e Recife.

Tudo o que sabemos sobre:
protestosDilma RousseffPM

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.