PMs do Paraná não conseguem gratificação

O governador do Paraná, Jaime Lerner (PFL), anunciou alguns benefícios para os policiais militares, mas reafirmou que o Estado não tem condições de atender à principal reivindicação, que é a Gratificação PM Especial, que aumentaria os salários em 38%. O anúncio foi feito ao Alto Comando da PM em reunião no Palácio Iguaçu. A primeira medida do governo é a criação, por projeto de lei, de uma compensação financeira por serviços extraordinários, no valor de R$ 100,00 por mês. O projeto deve ser encaminhado amanhã à Assembléia Legislativa. Em outra medida, por decreto, o governo está estendendo a gratificação por zona de risco aos militares que atuam no Sistema Penitenciário. Os policiais que trabalham na parte externa receberão gratificação de 60% sobre o soldo, enquanto os que estão temporariamente no interior da Penitenciária Central do Estado receberão 130% a mais. "A instituição desses benefícios é resultado de um esforço extraordinário do governo", acentuou Lerner. "Mais do que isso, seria impossível, porque atentaria contra a Lei de Responsabilidade Fiscal." A Gratificação PM Especial foi conseguida na Justiça por um grupo de 542 policiais. Outros também tentaram obter o benefício judicialmente, mas perderam em primeira instância. O governo alega que não tem como estendê-lo a todos os policiais, pois representaria um aumento de mais de R$ 9 milhões por mês na folha de pagamento. Segundo o governo, o menor salário pago a um policial no Estado é de R$ 735,32, incluindo vencimento básico e vantagens como risco de vida, tempo de serviço e gratificação de curso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.