PMDB vai em peso ao Congresso para apoiar ministro da Integração

Líder do partido no Senado, Renan Calheiros (AL) foi enfático ao elogiar a atuação de Bezerra Coelho á frente do Ministério e qualificou suas respostas na audiência como 'convincentes'

Rosa Costa, de O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 17h23

BRASÍLIA - Maior partido da base aliada do governo, o PMDB foi o partido mais presente no depoimento do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, na comissão representativa do Congresso. Os peemedebistas tomaram a linha de frente de Bezerra, deixando os integrantes do PSB, partido do ministro, no segundo plano.

O líder no Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), foi enfático ao elogiar a atuação de Bezerra Coelho, qualificando suas respostas como "convincentes". "O PMDB está inteiramente solidário com Vossa Excelência", afirmou. Renan e o presidente do partido, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), recepcionaram o ministro na presidência do Senado, enquanto o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), dava início à sessão da comissão no plenário.

A expectativa de Raupp é que as explicações do ministro da Integração Nacional "encerre de uma vez por todo esse assunto". "A não ser, é claro, se aparecerem mais notícias ruins". O líder do partido na Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), chegou ao plenário antes do ministro e lá permaneceu, mesmo não sendo membro da comissão representativa.

Tudo o que sabemos sobre:
BezerraCongressoPMDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.