PMDB vai discutir programa de governo na Bahia

O PMDB escolheu a Bahia, reduto do PFL, para iniciar, na primeira semana de janeiro, a discussão do programa de governo do partido, cujo documento-base está sendo concluído pelo presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Moreira Franco. Ao mesmo tempo em que divulgará as idéias do PMDB, os dirigentes peemedebistas vão aproveitar as visitas aos Estados para articular as alianças para as eleições estaduais. Com esse movimento, a cúpula do partido pretende, principalmente, "consolidar a unidade" para ter cacife eleitoral em 2002."A construção da unidade é fundamental para o PMDB sustentar uma candidatura competitiva à sucessão presidencial ou mesmo participar de um amplo acordo", afirmou Moreira Franco. Seguindo a mesma linha adotada hoje pelos dirigentes do PMDB, PFL e PSDB, os peemedebistas pretendem estar prontos até junho - prazo final para que os partidos homologuem seus candidatos às eleições - a fim de garantir influência e, quem sabe, espaço no quadro sucessório.Pelo raciocínio da cúpula do PMDB, a unidade será decisiva para alcançar esse objetivo e ter voz nas negociações. A intenção do comando partidário é ainda capitalizar o potencial de votos que o PMDB tem nos Estados. Segundo levantamento disponível, o partido controla cerca de 22% dos votos dados em todo o País nas eleições para deputados federais, senadores e governadores. "Mas por falta de unidade do comando esse capital todo é desperdiçado", resumiu Moreira Franco que, a partir do dia 7 de janeiro, terá em mãos o esboço do programa de governo do PMDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.