'PMDB tem um papel estratégico na solução para esse impasse', diz Aécio

Senador tucano não poupou o partido da pressão de deixar o governo e disse notar que 'setores importantes do PMDB' estão compreendendo que, com a presidente Dilma, o País não sai da crise

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2016 | 15h56

Brasília - Após jantar com Renan Calheiros (PMDB-AL) na noite desta quarta-feira, 9, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu a função estratégica do PMDB na condução do processo que pode levar ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. "Não é segredo para ninguém que o PMDB tem um papel estratégico na saída e na governabilidade pós-solução para esse impasse", afirmou.

Segundo o presidente do PSDB, a conversa teve a dimensão adequada para os dois partidos, que buscam uma solução para a crise política. "Talvez tenha sido o início de uma conversa que nós pretendemos continuar", disse. O senador, entretanto, não poupou o PMDB da pressão de deixar o governo e afirmou que o partido terá responsabilidade com os rumos do País.

"O que percebo é que o próprio PMDB sabe que o Brasil vive em ebulição e eles terão amanhã contas para prestar com a própria história", afirmou. Ainda de acordo com Aécio, setores do PMDB já sinalizam saída do governo. "Vejo setores importantes do PMDB já compreendendo que, mesmo com a solidariedade pessoal que possam ter à presidente, com ela não tem solução."

O jantar foi realizado na casa do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) e contou com a presença da cúpula do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), Renan e Romero Jucá (RR). Além de Aécio, também compareceram os tucanos Cássio Cunha Lima (PB), José Serra (SP), Antonio Anastasia (MG), Aloysio Nunes (SP) e o recém filiado Ricardo Ferraço (ES).

Apesar das impressões de Aécio sobre possível debandada do PMDB para oposição ao governo, Renan tem adotado discurso mais ameno. Nesta manhã, o presidente do Senado afirmou que o PMDB deve ter muita responsabilidade com as sinalizações que pode transmitir durante a convenção nacional que será realizada no próximo sábado. Segundo Renan, o posicionamento do partido pode agravar ou diminuir a crise.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.