PMDB se reúne para garantir Temer como vice

Encontro que deve ocorrer esta noite vai reunir as lideranças do partido em Brasília

Bruno Siffredi, do estadao.com.br,

20 de janeiro de 2010 | 12h37

A principais lideranças do PMDB se reunirão nesta quarta-feira, 20, à noite para decidir a estratégia que o partido deverá tomar para garantir a escolha do presidente da Câmara, deputado Michel Temer (PMDB-SP), para o posto de vice da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, pré-candidata do PT à sucessão presidencial.

 

Devem participar do encontro, além de Temer, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-PI), o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e os ministros de Integração Nacional, Geddel Vieira Lima (pré-candidato ao governo da Bahia), e de Minas e Energia, Edison Lobão. A indicação de Temer para compor a chapa com Dilma é uma escolha compartilhada pelas principais lideranças do partido. O ministro Lobão, que foi citado como possível alternativa a escolha de Temer, confirmou através de sua assessoria que Michel Temer é seu candidato ideal.

 

Segundo a assessoria de Temer, o PMDB vai decidir internamente sobre quem deve compor a chapa com Dilma e não irá apresentar alternativas na escolha do vice. Especula-se que o partido priorize fechar o nome do vice enquanto a ministra ainda está atrás do pré-candidato do PSDB, José Serra, nas pesquisas. A previsão seria a de que, quando a candidatura dela decolar, haverá uma margem menor para negociar a aliança.

 

Outro tema que deve receber atenção no jantar é a sucessão no governo de Minas Gerais. O PMDB, que ocupa atualmente nove governos estaduais, adotou o discurso de "priorizar os governadores". O partido pretende lançar em Minas a candidatura do ministro das Comunicações, Hélio Costa. A possibilidade do ministro concorrer contra um aliado é grande. O PT tem dois pré-candidatos: o ministro de Desenvolvimento Social, Patrus Ananias, e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel.

Tudo o que sabemos sobre:
PMDBMichel Temereleições 2010

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.