PMDB quer devolver cargos, diz Calheiros

O presidente Fernando Henrique ouviu do líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), que a tendência majoritária hoje no partido é pela devolução, o mais rapidamente possível, dos cargos federais ao governo e, ao mesmo tempo, de ajudar na sustentação da governabilidade. Calheiros revelou ao presidente, durante a conversa no Palácio da Alvorada, que a ala governista está cada vez mais sem força política e, por isso, será impossível derrubar a tese da candidatura própria na convenção de setembro, que elegerá também o novo comando partidário. "O PMDB já está definido em relação à candidatura própria e estamos agora tentando construir uma alternativa de consenso entre as várias facções para a direção partidária", afirmou Renan. O líder deixou claro também a Fernando Henrique que, aprovada a candidatura própria, a ala governista tentará compatibilizar essa decisão com o apoio congressual para garantir a governabilidade. Mas advertiu: "Poderemos conciliar até quando for possível. Quando não for, paciência". Além da fragilidade da ala governista do PMDB para enfrentar a candidatura do governador Itamar Franco (MG) à sucessão presidencial, os aliados do Palácio do Planalto alertam que as divergências localizadas no PSDB e no PFL em torno da candidatura oficial dificultam mais ainda um entendimento dentro do PMDB que favoreça a manutenção do tripé político que sustenta o governo. "Em nome de quem vamos deixar a candidatura própria?", indagam os governistas do PMDB, ressaltando que, até o momento, nem PSDB nem PFL apresentaram um nome competitivo e capaz de unir as forças aliadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.