PMDB pode sofrer novo racha

Treze anos depois da primeira diáspora, que deu origem ao PSDB, o PMDB corre o risco de perder sua segunda costela. Uma circunstância semelhante - que combina ano pré-eleitoral, interesses regionais, participação polêmica no governo e resistência à cúpula do partido - pode provocar a saída de uma dezena de deputados, dois senadores e um ex-governador. Os primeiros candidatos a desembarcar são o deputado federal Michel Temer (SP) e o ex-governador do Rio Grande do Sul, Antônio Britto, que no mês passado perderam a disputa pelos diretórios locais. A saída, porém, deverá ser em bloco e poderá provocar o mesmo efeito de 1988: fragilizar o partido na véspera da sucessão nacional. Leia mais

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.