PMDB não vai se curvar a coronéis, diz pré-candidado no MS

Com os dois adesivos dos pré-candidatos à Presidência da República, Anthony Garotinho (RJ) e Germano Rigotto (RS) colados no peito, o pré-candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, disse que "o PMDB não vai se curvar aos coronéis do partido". Sobre a disputa na Justiça entre a ala governista e oposicionista do partido para a realização das prévias neste domingo, ele disse que o processo é "ilegítimo para aqueles que tentam ganhar no tapetão".O líder da bancada do PMDB na Câmara Federal, o Waldemir Moka lembrou que as brigas para a realização das prévias do partido são consideradas normais. "Em novembro de 2004 aconteceu a mesma batalha. Depois de todo rolo o resultado das prévias foi legitimado".Para o senador Ramez Tebet, é "esdrúxula" a liminar que impede a realização das prévias. "Entretanto, o brasileiro sempre dá um jeitinho para tudo. O PMDB deu seu jeitinho", disse referindo-se a votação de hoje.Os peemedebistas estão reunidos desde 9h na Câmara Municipal de Campo Grande. São 477 membros do PMDB municipal, entre prefeitos, vice-prefeitos e delegados de cada município, que estão votando como simples consultas, já que a prévia continua suspensa. O resultado deverá sair antes das 18h (19 de Brasília).

Agencia Estado,

19 de março de 2006 | 14h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.