PMDB não vai exigir mais cargos do governo, diz Jucá

Para o líder do governo no Senado, relação entre o partido e o governo será de 'parceria preferencial'

Leonardo Goy, da Agência Estado,

03 de fevereiro de 2009 | 13h28

O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse nesta terça-feira, 3, que o fato de o PMDB ter conseguido o comando da Câmara dos Deputados e do Senado não fará com que o partido exija mais cargos do governo. "Isso não vai acontecer. O PMDB vai agora é ajudar mais o governo. A relação é de uma parceria preferencial", disse Jucá, após participar de cerimônia de posse do ex-ministro de Minas e Energia José Jorge no cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Veja também:Com Temer e Sarney, PMDB comandará Casas do Legislativo Também presente ao evento, o secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin - candidato derrotado à presidência da República em 2006 - disse que, na sua opinião, o PSDB tem boas chances de voltar ao poder nas eleições de 2010. "Com a reeleição, os mandatos de presidente passaram a ser, praticamente, de oito anos. Agora, com o fim desses oito anos, deverá haver uma disputa mais equilibrada", disse. O novo ministro do TCU José Jorge concorreu a vice na chapa de Alckmin em 2006. Com relação à concentração de poder do PMDB, com a vitória nas eleições no Congresso, Alckmin limitou-se apenas a comentar que esse tipo de eleição tem uma lógica própria e interna do parlamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.