PMDB não vai defender Jader, diz Maguito

O senador Pedro Simon (PMDB-RS) afirmou que o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), deve tomar a iniciativa de deixar o comando da Casa, caso o STF acolha denúncia do Ministério Público Federal contra ele. "Ou ele se afasta ou nós o afastamos da presidência do Senado", enfatizou, durante cerimônia de filiação de prefeitos e vereadores da Baixada Fluminense. Ao chegar ao Congresso, em Brasília, Jader descartou a saída: "Minha disposição é de cumprir meu mandato até o final." Durante o evento, que teve a participação do ex-tucano José Camilo Zito dos Santos, o presidente do partido, Maguito Vilela (GO), aproveitou para reiterar que a direção da legenda não vai fazer nada em defesa de Jader. Segundo ele, cabe ao Ministério Público a apuração das acusações.Maguito e Simon temem que as denúncias possam prejudicar o desempenho da legenda no ano que vem. "Ele não é um problema do PMDB. Todas as denúncias foram feitas quando ele era governador ou quando era ministro, nenhuma ocorreu no exercício da presidência do partido", alegou Maguito. "Nós, do PMDB, não temos como responder a nenhuma dessas acusações porque são de ordem pessoal."Maguito fez questão de ressaltar a diferença entre Jader e os nomes da legenda já cotados para disputar a indicação do partido para 2002. "O candidato peemedebista à Presidência não terá problemas com a ética, porque não pesam contra Itamar Franco e Pedro Simon nenhuma acusação", afirmou. "Não podemos confundir: o presidente do Senado é uma coisa e o candidato a presidente do PMDB é outra. O que o povo vai julgar é o candidato à Presidência."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.