PMDB não fará imposição para Agricultura, diz líder

O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves, informou que o presidente do partido, deputado Michel Temer, dirá ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na reunião que terá nesta segunda-feira, que está aberto para discutir qualquer outro nome para ocupar o cargo de ministro da Agricultura e não fará imposições. O nome indicado pelo PMDB na semana passada foi o do deputado Odílio Balbinotti (PR), mas ele desistiu de tomar posse depois de divulgadas informações sobre inquérito que corre contra ele no Supremo Tribunal Federal por suposta prática de falsidade ideológica.Alves informou também que o PMDB mantém a exigência de que o nome escolhido seja da bancada do partido na Câmara. O líder disse que, primeiramente, deverão ser avaliados os nomes que já constam da lista entregue por Temer a Lula na semana passada: Tadeu Filipelli, do Distrito Federal, Waldemir Moka, de Mato Grosso do Sul, e Eunício Oliviera, do Ceará. "Estamos abertos para discutir outros nomes", disse Henrique Alves."A relação com o presidente Lula está tão boa, tão correta, tão transparente que não vamos impor nomes. O partido não vai constranger o presidente", afirmou o líder do PMDB. Segundo ele, o nome do ex-ministro e deputado Reinhold Stephanes (PMDB-PR) não foi discutido com Lula. Alves reiterou que é importante que o nome seja da bancada de deputados do PMDB. "A bancada quer que seja um parlamentar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.