PMDB não aceitará qualquer apuração do caso Waldomiro, diz Temer

O presidente nacional do PMDB, Michel Temer, afirmou hoje que o fato de seu partido estar no governo não significa aceitação automática a tudo que venha a ser apurado no escândalo do ex-assessor do Planalto, Waldomiro Diniz. Temer afirmou que se houver um fato novo envolvendo autoridade política, o Congresso Nacional deve assumir seu papel político e investigar o caso.Temer participa hoje, com lideranças de outros partidos, de um evento na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp( que discute a reforma política. O presidente nacional do PSDB, José Serra, também convidado para participar do seminário, não compareceu porque está no exterior, segundo informou o deputado federal Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), que substitui Serra no evento.Apesar do tema central do seminário ser a reforma política, o escândalo que envolveu o ex-assessor do Planalto está no foco dos debates dos líderes partidários que estão hoje na Fiesp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.