PMDB marca eleição de líder na Câmara para próxima quarta-feira

As alas governista e de oposição ao governo dentro do PMDB fecharam, nesta quarta-feira, um acordo para acabar com a guerra em torno da liderança do partido na Câmara. As cúpulas dos dois grupos decidiram marcar para a próxima quarta-feira a eleição do novo líder. A bancada está sem comando desde terça-feira, quando o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), decidiu não reconhecer o deputado Waldemir Moka (MS) como líder. Aldo tomou essa decisão ao examinar mandado de segurança concedido a Moka pelo ministro Sepúlveda Pertence, do Supremo Tribunal Federal.Moka questionou no STF a validade da lista de apoios apresentada pela ala governista para conduzir Wilson Santiago (PB) à liderança. Pertence considerou que Santiago não tinha apoio da maioria do partido, já que dois deputados da bancada haviam retirado suas assinaturas da lista de apoio dos governistas.A briga, que já chegou a provocar troca de socos entre governistas e oposicionistas, ficou mais acirrada desde a semana passada, por conta da partilha dos 12 postos de comando em comissões técnicas da Câmara que cabem ao PMDB, incluindo três presidências. Sem líder, o partido não poderá indicar seus representantes nas comissões.A nova eleição de líder já havia sido solicitada pelo próprio Moka para acabar com a guerra de listas. A diferença, agora, é que o partido ficará uma semana sem líder, porque Aldo Rebelo, contrariando parecer de sua própria assessoria jurídica, recusou-se ontem à noite a reconhecer Moka como líder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.