PMDB mantém indicação de Chalita para comissão na Câmara

O PMDB manteve a indicação de Gabriel Chalita (SP) para presidir a comissão de Educação da Câmara dos Deputados. O parlamentar foi prestigiado pelo líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ). A escolha serve como um prêmio de consolação após o deputado ser descartado para ocupar um ministério no governo Dilma Rousseff.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

27 de fevereiro de 2013 | 21h30

Chalita é acusado de receber propina de empresas quando foi secretário de Educação do governo de São Paulo, entre 2002 e 2006. Ele teria se beneficiado com a reforma de seu apartamento e compra de livros de sua autoria em troca de contratos do grupo educacional COC com o governo paulista.

A decisão de dar o cargo a Chalita foi confirmada por Cunha após a reunião em que os líderes escolheram quais comissões os partidos vão comandar ao longo deste ano. Segundo maior partido da Casa, o PMDB teve direito a três cargos de comando. Além da Educação, ficará a frente dos colegiados que discutem Finanças e Tributação e Desenvolvimento Urbano.

Caberá ao PT a comissão mais importante da Casa, a de Constituição e Justiça. O deputado Décio Lima (SC) deverá presidi-la. Os petistas comandaram ainda as discussões sobre Relações Exteriores e Seguridade Social e Família. Na primeira vez que pode escolher o comando, o PSD optou por presidir as comissões de Trabalho e Defesa do Consumidor.

A oposição vai comandar as comissões de Ciência e Tecnologia e Seguraça Pública, com o PSDB, e Viação e Transportes, com o DEM. O bloco formado por PV e PPS poderá indicar o presidente da comissão de Meio Ambiente. O número de comissões na Casa subiu para 21 com o desmembramento de Educação e Cultura. Caberá ao PCdoB presidir a segunda.

Tudo o que sabemos sobre:
denúnciaChalitacomissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.