PMDB indica líderes como titulares da CPI exclusiva do Senado

Romero Jucá e Valdir Raupp são os cotados do partido da base; comissão correrá paralela a do Congresso

Agência Brasil

09 de abril de 2008 | 16h05

O PMDB, partido com a maior bancada no Senado, com 19 parlamentares, foi o primeiro a oficializar as indicações para a CPI dos Cartões Corporativos  do Senado. Os titulares serão o líder do governo no Senado, Romero Juca (RR), o líder do partido, Valdir Raupp (RO), e o senador Gilvam Borges (AP). Depois da criação na terça da CPI exclusiva, nenhum senador da oposição participou da reunião de quarta-feira, 9, da CPMI destinada a investigar o mesmo assunto.   Veja também:   Ouça o 'melô dos cartões'  À CPI, diretor da Abin defende sigilo da Presidência ARQUIVO:  Secretária da Igualdade Racial é líder em gastos, revela Estado  Gastos com cartões já somam R$ 9 milhões em 2008 Os ministros caídos  Entenda a crise dos cartões corporativos    A presidente da comissão, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), abriu os trabalhos e antes do término do depoimento da ex-ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial Matilde Ribeiro , deixou a sala. "A orientação do Senado é para esvaziar aqui e levar o circo para lá", disse o deputado Vic Pires (DEM-PA). O relator da CPI mista, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), criticou a criação da CPI exclusiva.   O deputado disse que o custo do funcionamento de duas CPIs sobre o mesmo assunto ultrapassa o valor gasto por ministérios com cartão corporativo. Ele, no entanto, não falou em números. "É desperdício de dinheiro público. Duas CPIs custam muito mais ao País do que muitos ministérios juntos gastaram com o cartão de pagamento do governo federal", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI dos cartõescartões corporativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.