PMDB ignorava problemas de Balbinotti, afirma Temer

O presidente do PMDB, Michel Temer, mostrou estar confiante no domingo, 18, com as novas indicações que o partido fará nesta segunda-feira, 19, para o Ministério da Agricultura. "São todos ligados ao setor e possuem grande capacidade administrativa", assegurou. O deputado deixou claro, no entanto, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva poderá escolher outro parlamentar para o cargo: "É uma opção que cabe a ele."Em entrevista ao programa Canal Livre, da Rede Bandeirantes, Temer fez questão de defender Odílio Balbinotti, que desistiu da indicação após sofrer acusações, alegando que ainda não existe denúncia formal contra ele. No momento, há um inquérito, aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF). "O partido não tinha nenhuma informação sobre problemas envolvendo Balbinotti", disse Temer. "Ele é uma figura que conquistou espaço no setor à custa de muito trabalho."Após o episódio, o presidente do PMDB fez questão de perguntar ao deputado Waldemir Moka (MS), um dos favoritos do partido para o cargo, se alguma acusação pesa sobre ele. A única ressalva feita por Moka foi a disputa política que existe entre ele e o ex-governador Zeca do PT. Para Temer, Moka é o mais indicado para o ministério por ter grande prestígio no setor da agricultura.Para a nomeação de cargos de segundo escalão, como diretoria de estatais, o presidente do PMDB adiantou que o partido planeja adotar critérios mais técnicos: "Para cargos técnicos faremos indicações baseadas em critérios técnicos, e não apenas políticos." O deputado reiterou o desejo de lançar candidato do partido à Presidência em 2010. Segundo ele, o presidente Lula deixou claro que o candidato sairá da coalizão, em que o PMDB é o maior partido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.