PMDB espera que entrega de cargos ocorra em até 12 dias, diz Moreira Franco

Aliado de Temer afirmou que, após esse prazo, partido deverá tomar medidas contra quem permanecer no governo

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

29 de março de 2016 | 16h26

Brasília – Apesar de a moção pelo desembarque aprovada não estabelecer prazo para peemedebistas deixarem o governo, o ex-ministro Moreira Franco afirmou nesta terça-feira, 29, que a direção do partido deve esperar aproximadamente 12 dias para que os ministros do PMDB entreguem seus cargos. 

Um dos principais aliados do vice-presidente Michel Temer, o ex-ministro afirmou que, após esse prazo, o partido deverá tomar medidas contra os peemedebistas que permanecerem no governo. “Cada dia com sua agonia”, afirmou Moreira Franco, ao deixar a reunião do Diretório Nacional que aprovou o rompimento. 

Na moção de desembarque aprovada por aclamação nesta terça-feira, o PMDB pede “a imediata saída do PMDB da base de sustentação do governo federal com a entrega de todos os cargos em todas as esferas da administração pública federal”, mas não estabelece data para que deixem o cargo.

Nesta segunda-feira, após reunião entre Temer e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), aliados do vice chegaram a divulgar que a moção estabeleceria 12 de abril como prazo para que peemedebistas entregassem seus cargos. Para evitar divergências, contudo, a cúpula do partido decidiu não incluir o prazo no texto. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.