PMDB espera por Aécio até setembro, afirma ministro Hélio Costa em Minas

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse ontem que o governador de Minas, Aécio Neves, tem de tomar uma decisão até setembro, caso tenha mesmo interesse em deixar o PSDB e se filiar ao PMDB para se candidatar à Presidência. "O prazo não é nosso, o prazo é da Justiça Eleitoral", insistiu Costa.Pela manhã, os dois participaram da solenidade de lançamento do sistema digital da TV Band Minas. "Aécio, que sempre foi bem recebido no PMDB, sabe que nós estamos de braços abertos", destacou o ministro.Para Costa, o relacionamento entre o tucano e o PMDB poderá ser "aprimorado", caso o governador procure estreitar ainda mais o relacionamento com as lideranças do partido. "Agora, o governador é que tem de tomar uma decisão."Apesar de não assumir a possibilidade de deixar o PSDB, Aécio evita ser categórico. Também ontem, no anúncio do novo presidente do PSDB em Minas, Paulo Abi-Ackel , ele foi questionado sobre as declarações do ministro. O governador agradeceu, destacando que Costa "tem feito gestos públicos e alguns reservados de estímulo à caminhada de Minas à Presidência". Reservadamente, aliados de Aécio afirmam que ele pode deixar o PSDB caso se sinta "atropelado" na disputa interna com o colega paulista, José Serra. Por isso, mantém o flerte com o PMDB. Na quarta-feira, o governador cortejou a legenda visitando os presidentes da Câmara, Michel Temer (SP), e do Senado, José Sarney (AP).Aécio defende a realização de prévias no PSDB até o final de março. A ideia é que as primárias ocorram até setembro. Em eventual derrota para Serra, ele teria a alternativa de trocar de partido no prazo estabelecido pela Lei Eleitoral - um ano antes da disputa pelo Palácio do Planalto.ANTECIPAÇÃOEmbora tenha advertido o governo para que seja cuidadoso na antecipação da campanha, "em relação à utilização da máquina pública ou de instrumentos públicos", Aécio ressaltou ontem que a agenda do PSDB não deve ser montada em função da pré-candidatura da ministra Dilma Rousseff. "Não acho que a agenda do PSDB deva ser construída em função da agenda daqueles com os quais disputaremos. O PSDB deve ter a sua estratégia."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.