PMDB escolhe deputado crítico da Lava Jato para presidir CCJ

Com maior bancada na Câmara, sigla ainda ficou com Comissões de Agricultura e Transporte

Daiene Cardoso e Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

23 Março 2017 | 05h00

BRASÍLIA - Quase dois meses após o início dos trabalhos legislativos, líderes partidários fecharam nesta quarta-feira, 22, um acordo sobre a divisão dos comandos das 25 comissões permanentes na Câmara. O PMDB ficou com as Comissões de Constituição e Justiça (CCJ), Agricultura e Transportes, consideradas as mais relevantes da Casa.

Com a maior bancada da Câmara, o PMDB vai indicar Rodrigo Pacheco (MG) para presidir a CCJ. Pacheco chegou a ser cotado para o Ministério da Justiça, mas comentários do peemedebista sobre a Operação Lava Jato o impediram de assumir a pasta. Em Transportes, o presidente será Altineu Côrtes (RJ) e na Agricultura, o nome do partido será o de Sérgio Souza (PR). Na semana passada, um ex-assessor de Souza foi citado na Operação Carne Fraca, mas o deputado disse que a menção não impede sua indicação. 

O PT, com a segunda maior bancada, ficou com Direitos Humanos, Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, mas ainda não informou seus indicados. O PR vai colocar parlamentares da bancada da bala nas duas comissões: Capitão Augusto (SP) – que circula na Casa com farda da Polícia Militar paulista e defende a ditadura – vai para a Segurança Pública e Direitos das Pessoas com Deficiência será ocupada por Cabo Sabino (CE).

Já o PSDB ficará com os comandos das comissões de Direitos da Mulher, Educação e Relações Exteriores. O PP escolheu Seguridade Social e Família – e vai indicar Hiran Gonçalves (PR) –, e Finanças e Tributação, cuja presidência será de Covatti Filho (PP-RS), cujo pai, o ex-deputado Vilson Covatti (PP-RS), é investigado na Lava Jato. O PSB vai indicar Rodrigo Martins (PI) para Defesa do Consumidor e Valadares Filho (SE) para Integração Nacional. 

O PDT ficou com Legislação Participativa e vai indicar Flávia Morais (GO). O PC do B escolheu Trabalho e terá Orlando Silva (SP) na presidência. O DEM comandará a Comissão de Turismo e vai indicar Paulo Azi (BA). O PTN escolheu a de Esporte e o PRB ficou com Minas e Energia. 

O PTB vai indicar o presidente de Fiscalização Financeira e Controle e o Solidariedade, de Desenvolvimento Econômico com Lucas Vergílio (GO). A Comissão dos Direitos da Pessoa Idosa será presidida por um deputado do PSC. PSD ficou com as comissões de Cultura e Ciência e Tecnologia.

Partidos pequenos, como PPS, Rede e PSOL, ficaram fora da repartição dos comandos das comissões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.