PMDB do Sul quer que Jader também se licencie do PMDB

O senador Pedro Simon, que esteve reunido neste final de semana com deputados peemedebistas do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, revelou no programa "Passando a Limpo", da Rede Record, ter recebido a incumbência de submeter ao diretório nacional um pedido das bancadas daqueles Estados para que o senador Jader Barbalho também se licencie do partido enquanto durar o seu julgamento. Para Simon, se o Conselho de Ética e Decoro do Senado decidir pela responsabilidade de Jader no desvio de recursos do Banpará, a decisão será aprovada por todo o PMDB. "Ele vai ter que se esforçar, e queira Deus que consiga, para ser absolvido pelo Conselho. Se for condenado, vai ter uma condenação unânime do partido", afirmou.Sem renúnciaO presidente licenciado do Senado continua afirmando sua inocência e voltou a reiterar que não pretende renunciar, como o fez ontem durante uma cerimônia pública em Belém. "Renunciar para quê? Só para beneficiar os caluniadores? Eu não estou aí para satisfazer caluniadores, mas para refutá-los e desmoralizá-los", disse Jader.Semana difícilDe qualquer forma, esta vai ser uma semana difícil para o senador paraense, que estará sob os holofotes nos próximos dias, segundo informou o ?Jornal das Dez?, da Globo News. Hoje, o Conselho de Ética do Senado recebe o relatório do Banco Central sobre os desvios de recursos do Banpará e, amanhã, vai ouvir os depoimentos do ex-presidente do Banco Central, Francisco Gros, e do procurador do banco, José Coelho Ferreira. E, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, será votado, também amanhã, um pedido antigo, de 1992, para a abertura de uma CPI para investigar o suposto enriquecimento ilícito de Jader Barbalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.