PMDB do Rio confirma candidatura de Pedro Paulo à prefeitura

Em outubro, agressões do atual secretário municipal de Coordenação de Governo à ex-mulher se tornaram públicas; Jorge Picciani diz que Pedro Paulo está 'plenamente preparado' para administrar a cidade

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

25 de janeiro de 2016 | 16h53

RIO - O presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, confirmou nesta segunda-feira, 25, que o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho, será o candidato à sucessão do prefeito Eduardo Paes. Desde que, em outubro passado, se tornaram públicas agressões físicas e ameaças de Pedro Paulo à ex-mulher Alexandra Marcondes, denunciadas por ela em registros policiais, a candidatura do secretário estava em xeque. Padrinho político de Pedro Paulo, o prefeito sempre disse que não haveria mudanças nos planos de lançar Pedro Paulo candidato, o que foi confirmado por Picciani.

“A decisão sobre a candidatura de Pedro Paulo não é só do Eduardo Paes, mas de todo o partido. Pedro Paulo vai enfrentar e submeter o nome ao julgamento popular”, afirmou o presidente peemedebista.

A primeira queixa de Alexandra contra Pedro Paulo foi registrada em fevereiro de 2010, às vésperas da separação do casal. Ela disse ter sido agredida com socos e chutes, e um laudo do Instituto Médico Legal (IML) constatou que Alexandra teve um dente quebrado. O casal havia brigado porque Alexandra descobriu uma traição de Pedro Paulo. O segundo registro aconteceu em agosto de 2010, quando a ex-mulher disse que Pedro Paulo a importunava em casa, havia chutado a porta do apartamento e ameaçado “sumir” com a filha do casal.

Quando a primeira agressão foi revelada pela revista Veja, em outubro passado, Alexandra inicialmente disse que havia mentido e que não tinha sido agredida. Depois, confirmou as agressões. Em entrevista ao lado da ex-mulher, em novembro, Pedro Paulo disse que era um problema de família já superado. O segundo registro policial feito por Alexandra foi noticiado pela revista Época

“A gente não tira a gravidade nem a importância do fato, cabe a ele (Pedro Paulo) responder. As pessoas podem sair de uma situação adversa para um exemplo. O perdão é bíblico. O homem público está sempre sujeito ao julgamento popular. Pedro está plenamente preparado para governar a cidade. Com humildade aceitaremos o julgamento da população”, afirmou Picciani.

Além de Pedro Paulo, estão entre os pré-candidatos à prefeitura da capital o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o deputado federal Alessandro Molon (Rede) e o senador Marcelo Crivella (PRB). O PSD poderá disputar com o deputado Indio da Costa. O PSDB também defende candidatura própria na capital e está em busca de um nome.

Tudo o que sabemos sobre:
Pedro Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.