PMDB discute com Dilma redução da carga tributária

O ministro-chefe da secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Moreira Franco, disse que o PMDB discute com o governo Dilma medidas para diminuir a carga tributária no País, evitando, porém, evocar o peso do termo reforma tributária.

DANIELA AMORIM E SABRINA VALLE, Agência Estado

17 de maio de 2011 | 14h16

"O meu partido, na proposta que apresentou à presidente Dilma, já fala da reforma tributária não como uma reforma, mas como um conjunto de iniciativas que tratem desses problemas que sejam extremamente focalizados, bem definidos, muito claros, para que nós possamos fazer as transformações institucionais que todos nós entendemos que precisamos fazer".

Segundo o ministro, é preciso criar um ambiente político de concordância em torno de determinados pontos, que seriam transformados em iniciativas e projetos e que provocassem a mobilização da sociedade. "A sociedade brasileira fez uma opção por pagar muito imposto. Essa é a realidade. O que nós temos que discutir é a qualidade do gasto", disse Moreira Franco, ressaltando que falava por si, sem refletir o pensamento do governo.

"Nós não temos na história política brasileira nenhum movimento social, nenhuma manifestação mobilizada, nenhuma ação política organizada, nenhum gesto efetivo da sociedade contrário à carga tributária que se implanta no País ao longo de muitos anos. Esse é outro ponto que devíamos refletir. Enquanto isso, a carga tributária aumenta e a qualidade do gasto diminui".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.