PMDB discorda de reajuste no mínimo e pedirá reunião com equipe econômica

Líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Alves, levará a decisão ao ministro das Relações Institucionais, Luís Sérgio

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado ,

04 de janeiro de 2011 | 14h39

BRASÍLIA - No momento de insatisfação com as nomeações do segundo escalão, o PMDB vai comunicar ao governo que não concorda com o valor do salário mínimo de R$ 540,00. O líder do PMDB na Câmara, deputado Henrique Alves (RN), levará a decisão ao ministro das Relações Institucionais, Luís Sérgio, em reunião marcada para esta tarde.

 

Em reunião da cúpula do PMDB que durou 2h30 na residência do vice-presidente da República, Michel Temer, lideranças do partido decidiram pedir uma reunião com a equipe econômica para discutir os critérios utilizados na fixação desse valor do salário mínimo e avaliar a possibilidade de elevá-lo.

 

Henrique Alves afirma que o partido não pretende misturar a discussão dos cargos do segundo escalão com a votação da medida provisória do salário mínimo, que será apreciada na primeira semana de fevereiro. No entanto, a decisão tomada hoje pela cúpula peemedebista é uma sinalização de que o partido pode liderar uma rebelião dos aliados na primeira votação de um projeto de interesse do governo, que é a MP do salário mínimo.

Tudo o que sabemos sobre:
PMDBsalário mínimodiscordância

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.