PMDB deve emplacar Novais à frente do Turismo e Geddel na Embratur

Indicação do deputado partiu do líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), que procurava um nome do Nordeste para o posto

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado ,

07 Dezembro 2010 | 15h40

BRASÍLIA - A configuração idealizada pelo PMDB para o Ministério do Turismo prevê o deputado Pedro Novais (PMDB-MA) na condução da pasta e o deputado Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) na presidência da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), autarquia vinculada ao ministério. O nome de Novais foi referendado pela bancada do PMDB na Câmara e encaminhado à presidente eleita, Dilma Rousseff. Novais foi convidado na manhã desta terça-feira, 7, pela presidente e já aceitou.

 

O PMDB procura um cargo no primeiro escalão do governo federal para acomodar Geddel Vieira Lima, um dos integrantes do seleto grupo político do presidente da legenda e vice-presidente eleito, Michel Temer. Ex-ministro da Integração Nacional, Geddel perdeu a eleição para governador da Bahia e se tornou adversário político do governador reeleito, Jaques Wagner (PT). Apesar das resistências do PT, tudo indica que o PMDB conseguirá acomodá-lo na máquina federal, embora não seja na vaga cobiçada por ele: a presidência da Infraero.

 

A indicação de Novais partiu do líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), que procurava um nome do Nordeste para o posto. Segundo um integrante da bancada, Novais é economista e tem qualificação para o cargo. O maranhense também conta com a simpatia do futuro chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. Novais foi presidente da comissão especial que analisou a proposta de emenda constitucional de prorrogação da CPMF em 2007, enquanto Palocci foi o relator da matéria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.