PMDB descarta ser vice na disputa pela Prefeitura de São Paulo

Presidente licenciado do partido, vice Michel Temer não mencionou o PT ao se referir a eventuais composições, mas garantiu que Gabriel Chalita será cabeça de chapa

Daiene Cardoso, da Agência Estado,

13 de maio de 2011 | 13h19

SÃO PAULO - O vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), disse nesta sexta-feira, 13, que a prioridade do PMDB é a eleição municipal de 2012 e que o partido buscará alianças com o PT onde for possível. "Vamos tentar sempre uma aliança PT/PMDB. Se não for possível no primeiro turno, (vamos procurar) no segundo turno", afirmou o vice-presidente, antes de proferir aula magna na Universidade Presbiteriana Mackenzie, na Capital.

 

Veja Também:

linkTemer informa a Dilma seu apoio a Chalita

som ESTADÃO ESPN: Chalita fala como pré-candidato

linkPMDB quer conquistar 100 prefeituras em SP

 

De acordo com o presidente licenciado do PMDB, o candidato da legenda para a Prefeitura de São Paulo deve ser mesmo o deputado federal Gabriel Chalita, que vai se filiar à sigla no início de junho. Ele disse também que está descartada a possibilidade de o candidato peemedebista ser vice, numa referência ao PT liderar a cabeça de chapa. Segundo ele, ter candidato próprio é prioridade do partido. "Estamos cuidando de 2012, onde queremos eleger o maior número de prefeitos", disse.

 

A respeito da possibilidade de o PMDB optar pela candidatura de Paulo Skaf, presidente da Fiesp, recém ingresso na sigla, Temer afirmou que o empresário terá papel importante na legenda para formular as políticas econômicas a serem defendidas pelo PMDB nas campanhas eleitorais. "Ele terá um papel relevantíssimo na cúpula nacional do PMDB." De acordo com o peemedebista, dependendo das circunstâncias políticas em 2014, Skaf pode ser lançado ao governo de São Paulo. "É um nome que pode ser preparado", afirmou.

 

O vice-presidente participou na manhã desta sexta-feira de aula magna sobre reforma política no Mackenzie, onde voltou a defender a aprovação de uma proposta que cria um sistema misto de eleição, com voto em lista e voto majoritário. Temer também concordou com a possibilidade de o voto distrital ser aprovado para municípios com mais de 200 mil habitantes. "Acho que a reforma política já amadureceu e que é provável aprová-la."

 

Prece. Na apresentação do vice-presidente aos alunos no curso de Direito do Mackenzie, o reverendo Augustus Nicodemus Gomes Lopes, chanceler desta universidade, iniciou o evento com uma prece em prol do peemedebista: "Livrai-o de homens maus, de pessoas falsas, que por trás o apunhalam." Temer agradeceu e disse que Deus dá o poder aos homens para que possam exercitá-lo. Segundo o vice-presidente, durante a oração ele lembrou-se do poder conferido por Deus aos homens públicos.

Mais conteúdo sobre:
TemerChalitaPMDBprefeituraPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.