PMDB definirá dia 20 se disputará presidência da Câmara

O PMDB ainda não definiu se lançará candidato à presidência da Câmara, mas cresce na bancada a possibilidade de fazer um acordo com o PT. Divididos entre a candidatura do petista Arlindo Chinaglia (SP) e a do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), que disputa a reeleição, os deputados do PMDB preferiram adiar essa decisão para a próxima quarta-feira, 20. A bancada se reuniu na noite de quarta-feira última, 13, e alguns líderes peemedebistas avaliaram nesta quinta-feira que a tendência majoritária é abrir mão da candidatura própria para apoiar Chinaglia. No entanto, como condição para o acordo entre os dois partidos, o PMDB exige uma contrapartida: em 2009, depois do mandato do eleito em 2007, o cargo passaria ao PMDB com o apoio da bancada do PT. Os peemedebistas avaliam que, como o PT é a segunda maior bancada, terá condições de bancar esse pacto. Os deputados querem também que todas as decisões, envolvendo a participação do PMDB no governo de coalizão e no Legislativo, passem pelo crivo da bancada. Inclusive as indicações de ministros pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Os deputados reclamam que os senadores têm mais prestígio e influência nas negociações que envolvem preenchimento de cargos federais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.