PMDB decide aguardar manifestação de Lula sobre ministério

Sem uma proposta concreta do governo, a cúpula do PMDB decidiu, hoje, durante almoço, aguardar uma definição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a participação do partido no ministério. "Vamos aguardar nos Estados", disse o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL). "Combinamos esse procedimento entre nós. Não dá para falar de possibilidades". Todos os integrantes da cúpula do PMDB saíram repetindo o mesmo discurso: esperar uma manifestação do governo. "Eles (o presidente e ministros) é que nos chamaram", disse o presidente do PMDB, Michel Temer. "Eles é que têm que definir. Pedimos para concretizar a proposta. Tudo depende do governo". Renan Calheiros complementou que o PMDB quer que o governo apresente uma única solução, já que ontem, em reunião na residência do presidente do Senado, José Sarney (AP), o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, mencionou, segundo os peemedebistas, vários cenários. "A reunião de ontem foi rápida. Não avançamos nada", disse Temer. Os peemedebistas disseram que, no almoço de hoje, não definiram nomes para os postos que lhes forem oferecidos. "Não definimos nenhum nome porque, na verdade, o PMDB fez um apoio ao governo, que foi político. Estamos, agora, sendo convocados para uma participação no governo. Mas não estamos pressionando. Não estamos exigindo nem estamos reivindicando nada. O PMDB mantém-se na posição que sempre teve: colaborar com o País e ajudar o governo", disse Sarney. Do almoço de hoje participou, além de Sarney, Temer e Renan, também o líder do PMDB na Câmara, deputado Eunício Oliveira (CE), cotado para o Ministério das Comunicações, se este cargo vier realmente a ser confirmado para o PMDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.