PMDB agora condiciona apoio a mudança na política economia

Em nota divulgada no início da tarde desta quarta-feira, o PMDB afirma que o apoio do partido ao governo federal é subordinado a uma política que promova o crescimento, distribua renda e gere emprego. Na nota, o partido, que integra a base aliada, cobra do governo mais ousadia para romper os "obstáculos que constrangem o crescimento" e sugere seis medidas.O presidente do PMDB, Michel Temer, disse que as sugestões contidas na nota oficial da Executiva Nacional serão entregues ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, como um gesto de um partido que quer entrar no governo, com apoio programático e não ficando na periferia. "Se ao longo do tempo o governo não atender as nossas ponderações, é claro que não há razão para o apoio partidário, que não é condicionado a cargos", disse Temer. "Mas repito que não acredito que o PMDB não será ouvido e duvido que o governo não queira seguir esse caminho", completou.Temer leu a nota na reunião da Executiva do partido e foi incluída uma nova sugestão. Além da redução da carga tributária para a pequena e média empresas o PMDB sugere também o alongamento do prazo de pagamento desses impostos. A seguir, leia a íntegra das medidas sugeridas pelo partido1- redução da carga tributária, sobretudo da pequena e média empresas; 2 - correção da tabela do Imposto de Renda para estimular o gasto da classe média; 3- redução ordenada da taxa de juros com esforço efetivo de redução do juro bancário, o que envolve uma atuação decidida dos bancos públicos no abastecimento do crédito; 4- definição clara de um programa de investimentos em infra-estrutura, de um programa de habitação popular e para a classe média com grande impacto sobre o emprego e a renda; 5- estímulo à grande empresa estrangeira para aumentar suas exportações e seus investimentos, de forma a equilibrar o seu balanço de divisas; 6 - que as empresas multinacionais assumam o compromisso a ser determinado pelo governo de reinvestir parte do lucro na produção destinada à exportação e na transferência tecnológica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.