PMDB adia formalização do apoio à candidatura da petista Dilma Rousseff

Partido quer resolver os problemas das alianças nos Estados, antes de se engajar na campanha de Dilma

Eugênia Lopes / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo

05 Maio 2010 | 00h28

Dilma e Temer após jantar na noite desta terça-feira. Dida Sampaio/AE

 

O PMDB decidiu ganhar tempo e adiou a formalização do apoio à candidatura da petista Dilma  Rousseff à Presidência da República. O partido quer resolver os problemas das alianças nos Estados, antes de se engajar na campanha de Dilma. A decisão de protelar a oficialização do apoio à candidatura petista foi comunicada na noite desta terça-feira, 4, pelo presidente nacional do PMDB, deputado Michel Temer (SP), em jantar com Dilma Rousseff. Temer é cotado para ser o candidato a vice na chapa encabeçada por Dilma.

 

Veja também:

PP deve ficar neutro na corrida presidencial

PT-SP cogita ceder vaga ao Senado a Tuma

 

O PMDB só deverá bater o martelo sobre a aliança com o PT para as eleições presidenciais no dia 12 de junho, data prevista para a convenção do partido.  Antes, os peemedebistas pretendiam oficializar o apoio à petista já no dia 15 de maio. Além de tentar resolver as pendências estaduais entre o PMDB e o PT, os peemedebistas também querem ganhar tempo para analisar o desempenho de Dilma nas pesquisas eleitorais.

 

“Vamos fazer uma reunião da Executiva do partido provavelmente no dia 18 ou 19 de maio para marcar a convenção. O clima é positivo no PMDB. Estamos trabalhando aos poucos. É preciso muita moderação, muito dialogo intenso e permanente. Os ajustes vão sendo feitos aos poucos”, disse Temer, depois de jantar na terça-feira com Dilma.

 

Dilma afirmou que está otimista na resolução dos entraves estaduais entre o PMDB e o PT. “Nunca tivemos essas datas como inamovíveis. Quando chegar na hora da reunião já teremos resolvido os maiores entraves. Estamos no caminho correto”, afirmou a petista. “O que é absolutamente certo para nós e que nos interessa é a aliança estratégica entre PT e PMDB com vistas à disputa de 2010.E nossas tratativas estão avançando mais do que estão estagnadas”, completou a candidata.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.