PM vai prender comerciantes que cobrarem preços abusivos em Nova Friburgo

Comandante diz que ordem será repassada aos policiais das outras cidades atingidas pelas chuvas

Agência Brasil

16 de janeiro de 2011 | 12h38

TERESÓPOLIS - O comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Mário Sérgio, mandou prender todos os comerciantes que forem flagrados cobrando preços abusivos por alimentos, água e velas no município de Nova Friburgo.

 

Segundo o comandante, ordem semelhante será repassada aos policiais de todas cidades atingidas pelas chuvas na região serrana do estado.

 

"Ninguém pode explorar a dor dos outros, se aproveitar da agonia da população para vender, por exemplo, um pacote de velas [que custa em torno de R$ 1,50] por R$ 10. Quem a gente encontrar fazendo isso será preso e levado diretamente ao Ministério Público", disse o comandante.

 

Segundo o subchefe administrativo da Polícia Civil, delegado Fernando Albuquerque, por enquanto os policiais estão dando prioridade à identificação dos corpos e à manutenção da segurança da cidade. Mas, em um segundo momento, haverá a investigação de crimes contra o consumidor, cujas penas são de dois a cinco anos de prisão, sem fiança. Em alguns locais, segundo moradores, há galões de água que custam R$ 6 sendo vendidos por até R$ 40.

 

De acordo com o delegado regional da serra fluminense, Renato Chernicharo, a situação de segurança da cidade é tranquila. Sete equipes de delegacias da capital estão reforçando o efetivo da Polícia Civil. "De forma geral, a situação está tranquila. Os registros de crime estão até baixos. Só houve mesmo aqueles boatos em Teresópolis e Nova Friburgo", disse.

 

Segundo Chernicharo, a delegacia de Nova Friburgo foi afetada pelas chuvas. Por isso, os policiais improvisaram uma delegacia em outro local. Os presos, no entanto, continuam na carceragem da delegacia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.