PM prossegue em vistoria de presídio no PR

A Polícia Militar ainda não terminou a contagem oficial dos presos da Penitenciária Central do Estado do Paraná (PCE), em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba, que foi tomada por uma rebelião que durou 143 horas. "Não há nenhum indício de fuga", disse o secretário de Segurança Pública, José Tavares. Ele afirmou que a contagem está sendo feita com calma. "Tem muitos presos com duplicidade de nomes, e isso não é uma tarefa fácil", disse. "Determinei uma avaliação completa, não só da quantidade de presos, mas de tudo o que aconteceu lá dentro", disse. Numa primeira avaliação, os estragos materiais foram bem menores que os da última rebelião. Segundo Tavares, alguns presos podem estar escondidos em túneis. "Não sabemos se eles (túneis) existem, mas acreditamos que sim", disse. Um preso foi encontrado dentro de uma caixa d?água, onde tinha se escondido com medo de uma invasão por parte da Polícia Militar. Na última contagem, realizada antes da rebelião, havia 1.371 presos na PCE. A rebelião iniciada no dia 6 terminou somente terça-feira, com a transferência de 23 presos e a morte de um refém e de três detentos. Tavares disse que, além da contagem, os policiais militares também irão procurar armas. A vistoria na PCE deve demorar ainda alguns dias, período em que a PM ficará responsável também pela segurança interna da unidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.