PM pretende sitiar invasores de fazenda

Enquanto os sem-terra se preparam para resistir a uma possível desocupação da Renascença, do embaixador Paulo Tarso Flecha de Lima, a Polícia Militar planeja o isolamento dos manifestantes na área ocupada. Com barreiras que está montando nas estradas, a PM vai impedir a entrada de alimentos no acampamento, além de dificultar a entrada e saída de pessoas. Os sem-terra dizem ter estoque de alimentos para 20 dias, e que a água potável no local é farta. Um dos coordenadores do acampamento, Jorge Augusto Xavier, ironizou a decisão da Justiça que determinou multa aos sem-terra no valor de R$ 300 mil pela invasão da fazenda. "Já que a Justiça nos condenou, agora temos a necessidade de permanecer no local para arrecadar o dinheiro da multa exigida pelo juiz", disse Xavier.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.