PM impede que sem-terra queimem tratores no interior paulista

A Polícia Militar foi acionada na madrugada desta terça-feira para evitar que um grupo de sem-terra tentasse atear fogo em quatro tratores e invadisse a sede da fazenda Santa Cristina, em Murutinga do Sul (SP), invadida na última sexta-feira. Os sem-terra são de sindicatos rurais filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT). Segundo o dono da fazenda, Miguel Rodrigues Moraes de Souza, por volta das 5 horas da manhã, um grupo com aproximadamente 50 sem-terra, armados com foices, chegou à casa da sede e ameaçou a família dos caseiros, que acabara de acordar para alimentar o gado. "Eles queriam por fogo nos tratores e invadir a casa se meu funcionário insistisse em alimentar o gado. Graças a Deus a Polícia Militar foi chamada e apareceu para colocar panos quentes", disse Souza. Mesmo assim, segundo ele, as 450 cabeças de gado mantidas em regime de semi-confinamento na puderam ser alimentadas. Além disso, de acordo com Souza, os sem-terra também impediram a ordenha de 200 litros de leite e mantiveram o bloqueio na estrada vicinal que dá acesso à fazenda, proibindo a entrada de funcionários na propriedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.