PM fecha acesso à Chapelaria da Câmara

Grupos distintos pedem manutenção e derrubada dos vetos presidenciais ao Ato Médico

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

20 de agosto de 2013 | 16h10

BRASÍLIA - Houve confusão na tarde desta terça-feira, 20, no principal acesso à Câmara e ao Senado. A Polícia Militar (PM) do Distrito Federal fechou o acesso à Chapelaria e jogou gás de pimenta em centenas de manifestantes que faziam protestos em relação à apreciação dos vetos presidenciais relacionados ao projeto do Ato Médico.

Há grupos que pedem a manutenção dos vetos e os que defendem a derrubada. Os manifestantes conseguiram entrar no prédio do Parlamento e seguiram para o Salão Verde, espaço que antecede o plenário da Câmara. A PM, neste momento, cerca o Congresso, impedindo a entrada de mais manifestantes.

A apreciação dos vetos presidenciais ao projeto do Ato Médico está, originalmente, programada para esta terça-feira, em sessão conjunta do Congresso. Essas sessões são realizadas no plenário da Câmara. Há minutos, enquanto centenas de manifestantes tentavam entrar no Congresso pela Chapelaria, outro grupo que protestava em relação ao Ato Médico ingressou no Parlamento por meio de outro acesso, localizado no Anexo 2 da Casa.

A Polícia Legislativa não conseguiu impedir o acesso desse outro grupo. Ao chegar ao Salão Verde, os manifestantes se uniram a outro grupo, que protesta a favor da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 300, e que havia chegado ao local ainda pela manhã. Essa PEC estabelece um piso nacional para policiais militares e bombeiros.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmavetosAto Médico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.