PM desocupa duas fazendas no Pontal

Cumprindo liminares de reintegração de posse determinadas pela Justiça, a Polícia Militar desocupou hoje duas fazendas invadidas por sem-terra no Pontal do Paranapanema, oeste de São Paulo. Outras quatro propriedades continuam ocupadas na região. Na Tupiconã, em Presidente Epitácio, invadida no dia 30 de abril, os 400 militantes do Movimento dos Sem-Terra (MST) começaram a deixar a área ao nascer do sol. Policiais, em duas viaturas, limitaram-se a acompanhar o desmonte dos barracos e o transporte dos sem-terra para o acampamento Jahir Ribeiro, a 10 quilômetros. Em Presidente Venceslau, a PM mobilizou um contingente com mais de 50 policiais, dois caminhões, um ônibus e dez viaturas para retirar os 250 militantes do Movimento dos Agricultores Sem-Terra (Mast) da fazenda São Luiz, invadida sábado. O aparato não passou do portão porque, quando os policiais chegaram, os sem-terra já estavam saindo. Nas duas áreas, apesar das ameaças dos líderes que pregavam a resistência, não houve qualquer reação. A mudança de estratégia ocorreu depois que a Justiça ameaçou prender as lideranças dos dois movimentos em caso de desobediência à ordem judicial. Os sem-terra apressaram-se a desmontar os barracos antes da chegada da polícia. Em Presidente Epitácio, a prefeitura cedeu dois caminhões para a o transporte dos pertences.

Agencia Estado,

06 de maio de 2004 | 16h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.